Um Presidente da República que corresponda às suas funções

 

Estou preparado para ser Presidente de todos os portugueses e para trabalhar com qualquer governo com legitimidade democrática. Não serei um Presidente de facção. Não me candidato para governar, para fazer ou desfazer governos. Não é esse o papel do Presidente.

 

Esta é uma das marcas e grandes diferenças da candidatura de Manuel Alegre. Apresenta-se aos portugueses para ser Presidente de todos, não de uns, nem para (pretender) governar o País.

 

Portugal não precisa de mais cinco anos de ziguezagues em Belém. Precisa de quem corresponda, não se demita das funções de Chefe de Estado.

Carlos Manuel Castro às 13:05 | link do post | comentar