Esclarecimento

 

A deputada do CDS-PP, Teresa Caeiro, acusou o candidato Manuel Alegre de ter feito publicidade ao Banco Privado Português (BPP).

 

Na TSF, Manuel Alegre respondeu a esta acusação garantindo que escreveu um texto literário, desconhecendo que tinha um objectivo publicitário.

 

«Não cometi nenhuma ilegalidade. Estranho que a senhora deputada Teresa Caeiro venha agora levantar o caso, a dizer que foi uma ilegalidade. Não é, porque foi um texto literário e os direitos de autor não têm qualquer incompatibilidade com a função de deputado. E há uma Comissão de Ética na Assembleia da República que nunca levantou este caso», justificou.

 

«Não sabia [que era um texto publicitário], mas mesmo que soubesse também não havia problema nenhum. Escrevi um texto literário sobre a minha relação com o dinheiro, esse texto foi publicitado e depois constatei que, sem qualquer alusão ao texto, havia uma publicidade a um banco. Pedi a interrupção do meu texto e devolvi o cheque», explicou Manuel Alegre.

 

Manuel Alegre aproveitou ainda este esclarecimento para devolver a acusação de campanha suja à candidatura de Cavaco Silva.

 

«Acusaram-me ontem de fazer uma campanha suja, fizeram-me um ataque pessoal, [mas] acho que a campanha de Cavaco Silva não respondeu ou esclareceu o que perguntei e, por intermédio de interpostas pessoas [referindo-se a Teresa Caeiro] vêm agora fazer um ataque pessoal. Isto sim é campanha suja», afirmou o candidato.

 

(Esta declaração pode ser ouvida aqui.)

tags:
Joana Lopes às 17:53 | link do post | comentar