Está nas nossas mãos

"Nas tuas mãos começa a liberdade."
Manuel Alegre - "O Canto e as Armas", 1967


 

Nada melhor que umas eleições como as com carácter Presidencial, para os portugueses expressarem o seu descontentamento através do voto. Sim é possível, a expressão de descontentamento para com o actual sistema sócio-político português, através do voto num dos candidatos e a escolha parece-me óbvia.

 

No Estado Novo, enquanto Manuel Alegre lutava contra o regime fascista e publicava "O Canto e as Armas", o candidato conservador mostrava-se integrado no regime político ditatorial. Manuel Alegre é o único candidato inconformado com o actual rumo, tal como no passado. Hoje em dia, a postura conformista e até cúmplice do candidato tecnocrata conservador é similar, como se pôde comprovar no debate frente a Manuel Alegre em que a primeira mensagem foi destinada à alta finança e não aos portugueses.

 

Nunca é demais reforçar que Manuel Alegre, livremente, tem-se expressado contra a actual concepção das sociedades vergadas ao capitalismo desregulado, em alternativa ao candidato conservador que é subserviente ao poderio da finança sobre os sistemas sociais construídos por posições políticas sólidas e históricas.  Se os portugueses são críticos para com o actual rumo social, só poderão confiar o voto em quem, como eles, não se conforma. Usemos da arma - leia-se das nossas mãos, leia-se do voto - para mudar o rumo!

Cláudio Carvalho às 20:37 | link do post | comentar