Quando os animais falavam

Há muitos anos, quando os animais falavam, o regime político era uma república.

Os animais elegiam o seu líder em eleições livres.

Um dos presidentes que foi eleito dizia que era muito bom. Tinha feito grandes coisas. Mas não falava. Só dizia que o presidente não podia fazer declarações porque isso não era ético. Ele tinha opinião mas não podia dizer qual era.

Durante 5 anos foi assim:

- o presidente não pode dizer...

- o presidente tem que ter cautela...

- o presidente tem que ter cuidado...

- o presidente não pode falar...

Passado uns tempos, a República dos animais resolveu que era preciso fazer eleições. Aliás, a sua Constituição era imperativa: após 5 anos era preciso ter eleições.

Então, o sr. presidente resolveu candidatar-se.

E falou como um livro aberto.

Passou a ser um candidato. Já podia falar. Falava dos outros candidatos. Coitado! Passou a ser uma vítima porque ninguém o compreendia. Ele, que durante tanto tempo, alertou para os problemas...

Se o sr. Presidente só pode falar quando é candidato, então o melhor é escolher outro. Um que fala sempre e tem coragem.

É essa a diferença!

Paula Cabeçadas às 00:00 | link do post | comentar