Uma referência e exemplo Presidencial

Faz hoje 15 anos que morreu François Mitterand, um dos políticos franceses mais marcantes de todos os tempos e um homem que muito deu ao projecto europeu.

 

Uma das grandes virtudes de Mitterand, e que muito contribuiu para o desenvolvimento da França enquanto Presidente da República, foi aliar a sua sagacidade Política à paixão pela Cultura. Os valores de uma Pátria e as causas de uma Nação, grandiosa como a França, souberam, por arte e empenho de um Presidente, com causas e ideais, servir os cidadãos e melhorar o país. Algo que os sucessores de Mitterrand não corresponderam, por isso a França se encontra numa espiral de decadência preocupante.   

 

Quando, em Portugal – que tem uma dimensão universal tão grande como a França -, se tenta diminuir a estatura e vocação cultural de um político, só porque nestes tempos a economia deve ser o único ingrediente qualificador de um interventor público, são estes mesmos tempos, de crise, que nos esclarecem como a ausência de visão cultural e universal, para lidar com os actuais desafios, é deficitária e essencial para ultrapassar os obstáculos.

 

Se há algo objectivo e que qualquer português identifica nas Chefias de Estado que já tivemos desde o 25 de Abril, Portugal, sempre que tive um Presidente da República com causas políticas e com paixão pela Cultura (Soares e Sampaio), o País não atravessou profundas crises (Eanes e Cavaco).

 

A eleição do próximo dia 23 de Janeiro não é inócua. É preciso tornar Portugal mais Alegre!

tags:
Carlos Manuel Castro às 18:24 | link do post | comentar