O Chefe da Oposição

 

No outro dia, em Peniche, uma manifestante gritava para Cavaco: “Não tenha medo deles”, logo o locutor, que conduzia a emissão televisiva, lhe perguntou: “quem eram eles?”. Resposta pronta da manifestante, o José Sócrates e o Ministro das Finanças. O “eles”, não era Manuel Alegre ou qualquer dos outro dos candidatos que se perfilam à esquerda, era o Governo. Cavaco manteve-se calado, convém-lhe aparecer como chefe da oposição. Mas há mais, quase todos os dias os professores do ensino privado, em guerra com o Governo por causa dos cortes no subsídio a este tipo ensino, se têm manifestado à frente de Cavaco, não para o apoucarem, mas sim para lhe gritarem um pedido de SOS contra as malfeitorias governamentais. Apareceu mesmo um professor que veio explicar à televisão e a Cavaco que os gritos daquela manifestação não eram contra ele, mas representavam o grito de desagravo dos professores. Cavaco começa assim aparecer como o verdadeiro chefe da oposição contra o Governo.

 

Esta táctica já é antiga. Em 1985, depois de Cavaco tomar conta do PSD, rapidamente soube também aparecer como opositor ao Governo do Bloco Central, chefiado por Mário Soares, e de que ele, PSD, tinha feito parte. Estes senhores são lestos em se desresponsabilizarem daquilo que fizeram.

 

Quando lhe serviu para se mostrar responsável, o Orçamento foi aprovado devido ao seu empenho. Agora, as medidas gravosas que aí vêm já são só da responsabilidade do Governo. Como se vê rapidamente tiram o cavalinho da chuva dos seus comprometimentos passados.

Jorge Nascimento Fernandes às 12:51 | link do post | comentar