Escolhas

"Nós não podemos de facto excluir a possibilidade de ocorrer uma crise grave em Portugal, não apenas no plano económico e no plano social, mas também no plano político", afirmou Cavaco Silva, numa intervenção durante um almoço na Guarda.

 

É incrível como se dizem larachas, dignas de um comentador, enquanto se é candidato à Presidência da República. O que devíamos esperar de Cavaco, como de qualquer candidato, é a apresentação das suas posições, de acordo com o quadro que traça no horizonte.

 

Ora, se há crise, qual é o papel do Presidente da República nestes tempos? Mas tendo em conta os últimos tempos, saberemos que de Cavaco não podemos esperar alguém empenhado em ultrapassar os obstáculos, mas sim quem se resigna e conforma com os problemas, limitando-se à postura passiva do: eu avisei. Mas um Presidente da República não serve para avisar, mas para melhorar.

 

Do lado de Manuel Alegre, sabemos que contaremos com alguém que não se resigna.

Carlos Manuel Castro às 17:42 | link do post | comentar