Terá mesmo de ser explicado como a crianças de 4 anos

...

 

O PR candidato afirmou ontem que a reforma da «sua senhora» não chega a 800 euros e que esta depende portanto dele.

 

Vamos a contas, deixando de lado a odiosa mentalidade revelada no tom e no conteúdo do que foi dito.

 

A dita senhora foi professora desde 1960 e ter-se-á reformado em 1998 – 38 anos de trabalho, portanto. Desses, passou dois em Moçambique (onde leccionou, mas dou de barato que tenham sido perdidas informações) e três em Inglaterra.

 

Sobram 33, dos quais mais 20 «como regente da disciplina de Língua Portuguesa na Universidade Católica Portuguesa» e os outros em colégios e liceus de Lisboa.

 

Descontou mais de três décadas, como professora do secundário e universitária e recebe menos de 800 euros? «Perderam» a reforma de Maria Cavaco Silva, como o esposo afirmou? Absolutamente impensável – digo eu que também tenho uma composição esquisita de actividade na função pública e privada, passando por três anos no estrangeiro, que me reformei pouco depois e que sei como isso funciona (relativamente) bem ali pela repartição na Estados Unidos da América. Ou não terá descontado??? Como assim?

 

(Também publicado aqui.)

tags:
Joana Lopes às 11:47 | link do post | comentar