A oportunidade para Portugal

Qualquer pessoa com memória histórica, informada e desvinculada de interesses partidários e financeiros tomará uma decisão responsavelmente acertada no próximo dia 23, até porque o panorama é cristalino:

 

Fernando Nobre é inexperiente, moralmente presunçoso e não dá garantias de não pactuar com o capitalismo desregulado que corrói o "Estado Social" construído por alicerces constitucionais de Abril. Francisco Lopes é anti-democrata e qualquer tentativa para derrubar o regime político-ideológico e económico será com uma alternativa revolucionária marxista-leninista. Enquanto que o candidato conservador Cavaco Silva é o principal responsável interno pelo iniciar da alienação do papel do Estado numa economia que se deveria ter como mista e promotora de equidade na oportunidade e não promiscua em favorecimento da elite financeira. O tecnocrata da realpolitik é o co-responsável nacional pelo pântano em que mergulhamos deste institucionalismo disfuncional e elitista e por isso não deveria merecer, em circunstâncias normais, a confiança do eleitorado.

 

Manuel Alegre é o único candidato democrata com coragem suficiente para não pactuar com o regime que nos trouxe até esta crise económico-financeira e de valores. Manuel Alegre sabe que não é expectável uma sociedade sem classes pela vias democráticas, jogando no tabuleiro do capitalismo global e elevando a luta socialista à escala europeia.

 

Os cidadãos portugueses estão fartos das falsas esperanças que são dadas por agentes políticos com responsabilidades decisórias em órgãos de soberania como Cavaco Silva. Nunca Manuel Alegre teve a oportunidade de tomar as rédeas do país como Cavaco Silva. Alegre merece a oportunidade, Portugal merece a oportunidade.

Cláudio Carvalho às 11:15 | link do post | comentar