Um voto, uma escolha

Voto em Manuel Alegre porque é a alternativa mais credível a Cavaco Silva.

Uma alternativa, antes do mais, de projecto para o país.

Manuel Alegre foi claro ao escolher como bandeiras a democracia e o Estado social. A defesa da democracia por Manuel Alegre não é um combate retrógado a um quimérico regresso a uma ditadura. O que está em causa não é uma reedição do antigo regime, mas o esvaziamento de direitos sociais da nossa democracia, reduzindo-a a uma democracia formal, oca, ainda mais alheada da vida das pessoas comuns. O que não podemos permitir é que a democracia seja um álibi para uns poucos decidirem o que é inevitável nas condições de vida da maioria.

Um Estado social capaz de responder às necessidades da população na área da educação, da saúde, da segurança, é uma ferramenta ao serviço da integração social, da participação pública e da revitalização de uma democracia em crise de representatividade.

Cavaco Silva, na entrevista a Judite de Sousa na RTP, apontou como alternativa à entrada do FMI em Portugal a venda de activos do Estado, como a EDP e a Galp. Ou seja, depois do Estado socializar o prejuízo do BPN, deveria renunciar aos lucros de empresas participadas pelo Estado, abrir a porta à subida de mais preços e, para compensar a quebra de receitas, cortar mais no Estado social.

A escolha de Manuel Alegre não é só a escolha de um projecto político, é também o voto numa pessoa.

É o voto num homem livre e não num homem prisioneiro de si mesmo, que promulga leis e depois vem a público resmungar acerca das leis promulgadas.

É o voto num homem justo e não num homem que admite, na entrevista à RTP, que as avaliações das agências de rating da dívida pública portuguesa são «um pouco injustas» e logo se indigna contra quem denuncia a injustiça. Como se cobrar um juro elevado fosse um favor e não um excelente negócio para quem o cobra.

É o voto num homem fraterno e não num homem que nem sequer respeita os actuais administradores do BPN que integram a sua comissão de honra.

Votar em Alegre é escolher viver num país melhor.

João Miguel Almeida às 22:21 | link do post | comentar