Escrutínio público

Aqueles que lançaram a maior campanha suja da democracia portuguesa contra um Primeiro-Ministro eleito consideram que é desonestidade política exigir mais esclarecimentos sobre a relação de Cavaco Silva com a administração criminosa do BPN e a sua estranha valorização de acções. Mais uma razão para não desistirmos deste escrutínio. Os dirigentes socialistas não estão acima da lei. Os outros também não.

Tiago Barbosa Ribeiro às 14:54 | link do post | comentar