Para além das sondagens, lutar até ao dia 23 por escolhas lúcidas que sustentem os combates de esquerda no futuro

Este já não é o tempo de gastarmos mais tempo com as sondagens. As sondagens, tecnicamente defeituosas ou não, permitem ler tendências, não antecipam resultados. A desigualdade de condições políticas e de recursos das candidaturas em presença é conhecida desde o início desta caminhada. Há muito que sabemos que estas eleições são uma batalha desigual entre um Presidente candidato que luta pela reeleição, levado num andor e procurando colher em seu benefício o mal e a caramunha, e um candidato como Alegre, que procura agrupar as forças de uma esquerda dividida e, sendo do partido do Governo, se tem criticamente distanciado das suas escolhas políticas apadrinhadas por Cavaco Silva. 

 

Confusos? Mas isto faz parte do contexto das escolhas políticas destas eleições. E esta luta eleitoral, sendo desigual, não pode ser abandonada à esquerda, em nome das Presidenciais e também em nome dos nossos combates futuros por uma democracia social e política que não seja secundarizada e subordinada aos mercados financeiros e duma política que não esteja capturada pelos negócios.

 

Acresce que a sondagem da Marktest/Diário Económico/TSF hoje divulgada mantém um erro inconcebível num trabalho de especialistas: continua a considerar como votos validamente expressos, nas presidenciais, os nulos e os brancos. Como lucidamente observa Pedro Magalhães no seu blogue Margens de Erro.

 

Até ao dia 23 cumpre-nos contribuir para que as escolhas dos cidadãos sejam tão informadas quanto for possível, num quadro eleitoral muito perturbado e condicionado pela conjuntura política. E quanto melhor for o resultado de Manuel Alegre (e de outros candidatos à esquerda, como Francisco Lopes), em melhores condições estará a esquerda para travar os combates seguintes. Para que a crise económica não seja o alibi dos poderosos para nos empurrarem mais e mais para uma crise social e política sem precedentes.

Henrique Sousa às 11:52 | link do post | comentar