O interesse nacional

Edite Estrela faz um apelo directo ao voto: "Sei que ainda há muitos indecisos na esquerda e que ainda há socialistas hesitantes. A uns e a outros eu digo que parem, pensem e decidam bem". Este é o momento de colocarmos os interesses nacionais acima dos pessoais". Depois acrescentou que "é preciso decidir com o coração e com a razão".

 

No discurso na Trindade, hoje, em Lisboa, Edite Estrela enumerou as razões para apoiar Manuel Alegre. "Portugal precisa de um Presidente de esquerda e solidário com o governo" e que "não fomente crises políticas artificiais". Uma referência às declarações de Cavaco Silva que na primeira semana de campanha eleitoral falou da possibilidade de haver uma "crise política" e ontem, acabou por dizer que "tinha pouco apetite para utilizar a bomba atómica", ou seja a dissolução da Assembleia da República.

Vera Santana às 15:51 | link do post | comentar