Segunda-feira, 24.01.11

Um homem perigoso!

Não vou comentar os resultados das eleições. Apenas pedir para observarem o número de votos brancos e nulos e a percentagem da abstenção.

 

Vou apenas referir que dos discursos de Cavaco Silva só se pode concluir uma coisa - temos razão:

 

  • Um homem ressabiado
  • Um homem que não sabe viver em democracia
  • Um homem mal-educado que nem sabe que no combate político é preciso aceitar a discussão das ideias
  • Um homem que não sabe que não pode estar acima da lei
  • Um homem que apareceu com desejo de vingança
  • Em suma, UM HOMEM PERIGOSO!

Daqui para a frente, Cavaco vai ter que viver com a realidade. Já não pode dizer que a sua honestidade está acima de todas as dúvidas. Já não pode apregoar-se da tolerância. Já não pode pensar que as pessoas esqueceram o que fez enquanto 1º Ministro.

 

Daqui para a frente ainda é preciso estarmos mais atentos!

 

Paula Cabeçadas às 14:14 | link do post | comentar
Sexta-feira, 21.01.11

Voto a favor!

 

Voto a favor:

 

- da Democracia e da Liberdade

- da Constituição da República que consagra:

  • Um Serviço Nacional de Saúde gratuito e Universal
  • Uma Escola Pública para todos
  • O direito de não ser despedido sem justa causa

- de um estado ao serviço dos cidadãos

- de uma economia ao serviço das pessoas e não das pessoas ao serviço dos "mercados"

- de uma sociedade sem medo

- de um país soberano e livre

- de um país de pé e não "de cócoras"

- de uma Europa dos cidadãos

- de uma Europa social

 

Voto a favor:

 

- de um Presidente ao serviço dos portugueses e não de interesses políticos ou económicos

- de um Presidente que seja um promotor da participação de todos na vida política

- de um Presidente que diga o que tem a dizer

- de um Presidente que fale

- de um Presidente que consagre vontades

- de um Presidente independente

- de um Presidente que, dentro do que lhe é permitido pela Constituição, congregue esforços para resolver os problemas

- de um Presidente que dê Esperança

- de um Presidente que não ameace

- de um Presidente que não crie crises artificiais

 

Voto a favor:

 

- da língua portuguesa

- do encontro dos que falam português

- do encontro dos que pensam português

- do encontro da história e da cultura portuguesa

 

Voto a favor:

 

- de Portugal e dos portugueses

 

Voto a favor:

 

- de um homem coerente

- de um homem que cumpre

- de um homem independente

 

Voto a favor:

 

- de um Presidente poeta

- da poesia na vida

- da poesia na sociedade

 

Nem sempre estive de acordo com Manuel Alegre. Mas Manuel Alegre sempre cumpriu o que prometeu. Estivesse eu de acordo ou não. Isso é coerência, isso é palavra.

 

Voto a favor! Voto a favor de Manuel Alegre!

Paula Cabeçadas às 20:05 | link do post | comentar

As taxas de juro

Se calhar... Era mesmo isto que ele queria.

Paula Cabeçadas às 13:12 | link do post | comentar
Quinta-feira, 20.01.11

Cavaco está nervoso

Agora Cavaco Silva lança mais uma atoarda para o medo que quer instalar:

 

O candidato presidencial Cavaco Silva alegou hoje que uma segunda volta das presidenciais teria custos para todos os portugueses, "desde logo pela via da contenção do crédito e pela subida das taxas de juro".

 

Instalou-se o nervosismo?

Paula Cabeçadas às 19:21 | link do post | comentar | ver comentários (1)

"Alegre levado em ombros em Lisboa"

 

 

 

Paula Cabeçadas às 19:18 | link do post | comentar

"Queremos a economia ao serviço das pessoas e não as pessoas perfiladas de medo"

Queremos a economia ao serviço das pessoas e não as pessoas perfiladas de medo

 

“Demos a volta ao país e fizemos uma campanha de esperança, de confiança e de alegria, muito intensa” afirmou Manuel Alegre no almoço da Trindade. “Não estamos aqui perfilados de medo”, afirmou, parafraseando Alexandre O’Neil. “E o medo está a ser um instrumento político desta campanha”, denunciou, “o principal activo de Cavaco Silva, o medo que ele próprio inculca nos portugueses: medo que ele inflama ao qualificar a nossa situação de explosiva, medo do desemprego, medo do endividamento externo, medo de todas as leis que vão no sentido da tolerância, da modernidade, das liberdades e do respeito pela diferença” recordou, arrancando uma enorme sala da palmas. Medo, finalmente, “de uma crise política grave, estou a citá-lo, que ele próprio anunciou que iria provocar dissolvendo a Assembleia da República e abrindo as portas aos dois partidos que o apoiam”.
Paula Cabeçadas às 18:25 | link do post | comentar
Quarta-feira, 19.01.11

Os comboios de Cavaco

 

"Foi durante o governo de Cavaco Silva que a linha do Tua sofreu a primeira machadada. Dezoito anos depois, Cavaco regressa em campanha e diz ter pena que a linha já não vá até Mirandela..."

 

 

Fonte: Tabus de Cavaco

 

Paula Cabeçadas às 13:24 | link do post | comentar

Estranha sondagem que não dá 100%

Cavaco (61,5%), Alegre (15%), Nobre (12,7%), Lopes (3,3%), Coelho (2,1%) e Moura (1,2%). A soma destes números dá 95,8%. Como, nas eleições presidenciais, os votos brancos e nulos não são contados, a amostra está distorcida.

 

Fonte: Da Literatura

Paula Cabeçadas às 10:59 | link do post | comentar
Terça-feira, 18.01.11

A diferença

“Como é óbvio”, Alegre critica confrontos

Cavaco não consegue tirar “chapéu” de Presidente e fica em silêncio

Paula Cabeçadas às 20:45 | link do post | comentar

"Trova do vento que passa"

 

 

 

Paula Cabeçadas às 20:41 | link do post | comentar
Segunda-feira, 17.01.11

Uma entrevista a Manuel Alegre

 

Alegro: Boa noite Manuel Alegre. É com muito prazer que o temos entre nós para esta entrevista.

 

A 1ª pergunta que gostaria de lhe fazer prende-se com a sua decisão: porque é que se candidata a Presidente da República?

 

Manuel Alegre: A história de um país e de um povo é também uma luta contínua entre a grandeza e a mesquinhez, entre a superação e o comodismo, entre os que servem o bem comum e os que pensam apenas em servir-se ou servir uns poucos... Há quem queira desistir. Há quem ache que não vale a pena e há quem simplesmente abdique dos seus direitos de cidadania, que a tanto custo foram conquistados...

 

Mas há também depois os que não se resignam. É o meu caso.

 

Alegro: Qual é, neste momento, a sua opinião relativamente à chamada construção europeia?

 

Manuel Alegre: ... A Europa tem de voltar a ser um projecto político, um projecto de sociedade e um projecto de civilização. E sobretudo um projecto de solidariedade entre iguais. É necessário um novo fôlego para a construção europeia.

 

Alegro: Qual acha que deve ser a palavra do PR nesta atual crise?

 

Manuel Alegre: A grande arma de um Presidente é a palavra. As palavras ajudam a mudar a vida, ajudam a criar confiança e esperança.

Cabe ao PR dizer que a situação presente está assente em lógicas perversas, condições injustas e desequilíbrios perigosos. E cabe-lhe defender o povo, vítima maior de processos insustentáveis de que são beneficiários poderosos interesses.

Cabe ao PR dizer que a economia não é os mercados especulativos nem a finança internacional sem rosto. A economia é um sistema de organização produtiva para criar riqueza e emprego, desenvolver o bem-estar das pessoas, gerar progresso e reparti-lo justamente.

É desta economia que não se fala e, por isso, se desamparam os que não têm emprego, se ignoram os enormes desperdícios que se estão a gerar e se tomam posições do lado dos que beneficiam da crise.

Cabe ao PR ser uma voz portuguesa na Europa. Não está escrito em lado nenhum que a superação do drama e da tragédia europeia não possa iniciar-se com vozes vindas das periferias. A Europa não será Europa sem uma visão da importância do seu desenvolvimento solidário e da sua dimensão conjunta no mundo global.

 

 

Paula Cabeçadas às 23:11 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Domingo, 16.01.11

A bem da verdade

Paula Cabeçadas às 14:39 | link do post | comentar
Quinta-feira, 13.01.11

"A aldeia do cavaquistão"

 

Na Aldeia da Coelha, Cavaco Silva tem por vizinhos Oliveira Costa e Fernando Fantasia, homens-fortes da SLN. Um loteamento que nasceu à sombra de muitas empresas e off-shores. A escritura do lote do Presidente da República não se encontra no Registo Predial de Albufeira. O próprio não se recorda em que cartório a assinou. Um dos promotores da urbanização, velho amigo e colaborador de Cavaco, diz que a propriedade foi adquirida "através de um permuta com um construtor civil".

 

Na Visão on-line. Muito interessante!

 

Paula Cabeçadas às 15:49 | link do post | comentar | ver comentários (3)

A Indisposição

Cartoon de Henricartoon

Paula Cabeçadas às 10:43 | link do post | comentar
Terça-feira, 11.01.11

Nambuangongo

Eu quero um presidente poeta!
Paula Cabeçadas às 22:33 | link do post | comentar
Domingo, 09.01.11

"O intangível"

 

Cartoon de Henricartoon

tags: ,
Paula Cabeçadas às 21:52 | link do post | comentar

"Livre e Fraterno Portugal

 

Livre e Fraterno Portugal


Voltar a acreditar neste País
Voltarmos a regar nossa raiz
Voltarmos a sorrir sem nuvens a tapar
O sol que vai brilhar no nosso olhar.

Voltar a inventar este lugar
Viver de novo a vida sem esperar
Sonhar o velho sonho que temos adiado
E ver este País a acordar.

 

Refrão
Livre e Fraterno Portugal
Justo e Alegre Portugal
País feito do mar,
País feito do amor,
País do nosso sonho
Portugal

Voltarmos a cantar este País
Que espera para voltar a ser feliz
Que a Praça da Canção não seja uma ilusão
E possa ser refrão dentro de nós.

 

Refrão
Livre e Fraterno Portugal
Justo e Alegre Portugal
País feito do mar,
País feito do amor,
País do nosso sonho
Portugal

 

"Não quero ser o Presidente da depressão, quero ser o Presidente da recuperação" - Manuel Alegre

Paula Cabeçadas às 16:17 | link do post | comentar
Sábado, 08.01.11

O Chefe do Estado não aconselha o Estado

 

Paula Cabeçadas às 20:56 | link do post | comentar

2 pequenas reflexões

Num dos debates televisivos, o candidato Cavaco Silva afirmou a certa altura que seria necessário nascer duas vezes para se ser tão honesto como ele.

 

No discurso de ano novo, o presidente Cavaco Silva criticou, a certa altura, dos "agentes políticos" e do seu papel na sociedade e no país.

 

Em relação à primeira questão: uma frase como aquela é bastante esclarecedora da personalidade de quem a profere - arrogância, prepotência. Se há coisa que o país não necessita neste momento é de um presidente arrogante e prepotente. A arrogância e a prepotência não se dão bem com a democracia.

 

Em relação à segunda questão: a primeira reação é dar vontade de rir. Mas, pensando melhor, a tática do presidente-candidato é a de tentar pôr-se de fora da classe política que está tão mal vista neste momento. Ora, é bom recordar que Cavaco Silva leva 17 anos de vida política ativa, foi 1º ministro durante 3.643 dias e foi presidente do PSD pelo menos 10 anos. Para se ser agente político quanto tempo é necessário então?

 

 

 

Paula Cabeçadas às 20:22 | link do post | comentar
Sexta-feira, 07.01.11

"A raça, o dia da raça..."

Palavras para quê?

 

Paula Cabeçadas às 19:14 | link do post | comentar | ver comentários (1)

BPN vs BPP

 

 

Artigo de Daniel Oliveira no Antes pelo Contrário

Manobras de diversão

Como era de esperar, em vez do esclarecimento veio o contra-ataque. Manuel Alegre terá feito um texto para um espaço com patrocínio do BPP nas páginas do EXPRESSO. Pelo qual terá recebido 1.500 euros.E isto compara-se com o quê? Com um negócio em que Cavaco Silva compra e vende ações da SLN ao preço decidido pelo vendedor e comprador, com uma enorme margem de lucro e que rendeu a si e á sua filha mais de trezentos mil euros, com prejuízo evidente para à sociedade, em troca de oferecer credibilidade a uma empresa dirigida por correlogionários políticos.

À falta de esclarecimentos, os apoiantes de Cavaco Silva querem fazer passar a ideia de que se Cavaco tem o BPN, Alegre tem o BPP. Um participou num negócio que tresanda a troca de favores, outro fez um texto patrocinado. Tem tudo a ver, não tem?

Fico por quatro diferenças evidentes. A primeira: o BPP não está a ser pago pelos contribuintes, o BPN está. A segunda: Cavaco Silva era acionista do SLN e na compra e venda de ações deu a sua ajuda ao estado em que a sociedade ficou. Como acionista tinha obrigação de saber o que estava a fazer e, com os contactos que tinha naquele banco, não há como acreditar que estivesse às escuras. Alegre fez um texto pago por uma agência de publicidade patrocinado por um banco com a qual não tinha qualquer contato. Ainda por cima mal pago. A terceira: Cavaco Silva participou numa decisão política relacionada com nacionalização dos prejuízos do BPN. Prejuízos para os quais terá contribuído. Manuel Alegre não decidiu nada que envolvesse do BPP, porque o Parlamento nada decidiu em relação àquele banco. Quarta: o BPN está intimamente ligado ao circulo político de Cavaco Silva e a quem financiou as suas campanhas. Não se conhece nenhuma ligação do BPP a Manuel Alegre.

Pode-se discordar que um deputado escreva aquele texto para aquele fim. Mas trata-se de um assunto muito pouco relevante perante os cinco mil milhões que o Estado pode vir a enterrar no BPN. A comparação entre as duas coisas é de tal forma absurda que ninguém de boa-fé a poderá aproveitar.

Compreende-se a vontade de baralhar. Depois de se desvalorizar e de fingir de que não se percebe do que se está a falar, tenta-se criar a ideia de que no fundo todos estão envolvidos em negócios estranhos com bancos. Mas para quem está minimamente informado a pergunta mantém-se: onde está o contrato que levou a uma valorização artificial das ações de Cavaco Silva? E qual o interesse da SLN em fazer esse negócio? Chega de manobras de diversão e venham os esclarecimentos.

Paula Cabeçadas às 13:18 | link do post | comentar

Quando os animais falavam

Há muitos anos, quando os animais falavam, o regime político era uma república.

Os animais elegiam o seu líder em eleições livres.

Um dos presidentes que foi eleito dizia que era muito bom. Tinha feito grandes coisas. Mas não falava. Só dizia que o presidente não podia fazer declarações porque isso não era ético. Ele tinha opinião mas não podia dizer qual era.

Durante 5 anos foi assim:

- o presidente não pode dizer...

- o presidente tem que ter cautela...

- o presidente tem que ter cuidado...

- o presidente não pode falar...

Passado uns tempos, a República dos animais resolveu que era preciso fazer eleições. Aliás, a sua Constituição era imperativa: após 5 anos era preciso ter eleições.

Então, o sr. presidente resolveu candidatar-se.

E falou como um livro aberto.

Passou a ser um candidato. Já podia falar. Falava dos outros candidatos. Coitado! Passou a ser uma vítima porque ninguém o compreendia. Ele, que durante tanto tempo, alertou para os problemas...

Se o sr. Presidente só pode falar quando é candidato, então o melhor é escolher outro. Um que fala sempre e tem coragem.

É essa a diferença!

Paula Cabeçadas às 00:00 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quinta-feira, 06.01.11

É preciso este Presidente para que haja um país!

Paula Cabeçadas às 13:25 | link do post | comentar

eMail

pesquisar

 

autores

posts recentes

últ. comentários

  • Genial ... anedota nacional. Fica a ideia da const...
  • Ou seja, Cavaco, nos seus 10 anos, reduziu o défic...
  • Obrigado Rodrigo.Este Blog estará disponível enqua...
  • Caros AmigosO trabalho que fizeram e apesar de os ...
  • Há gente que nunca conseguirá ver mais do que a po...
  • Palavras para quê?"Alegre confrontado com insinuaç...
  • Obrigado JPN.Já está resolvido.
  • Obrigado, AnabelaFoi um prazer acompanhar Manuel A...
  • Tens toda a razão, Paulo.Esta treta de gente do me...
  • Acho que não deve conseguir ler os gráficos muito ...

mais comentados

arquivos

2011

tags

links

subscrever feeds

networkedblogs - facebook

NetworkedBlogs
Google Groups
blogs SAPO

Logo

Alegre - Alegro Pianissimo
Imagem: Rui Perdigão