Terça-feira, 18.01.11

É tempo de derrubar o Cavaquistão

Quando Cavaco Silva se tornou Primeiro-Ministro, eu tinha apenas quatro anos. Posso dizer que foi uma figura que influenciou fortemente o meu percurso político, ao ponto de me ter decidido envolver na vida política aderindo ao partido que usava como slogan “Não lhes dou cavaco”. A revolta contra o autoritarismo desta figura levou muitas/os jovens da minha geração a juntar-se à esquerda e a lutar contra o conservadorismo balofo de um governo que reanimou muitos fantasmas do Salazarismo. Vale a pena, portanto, voltar um pouco atrás no tempo.

Durante os dez anos em que Cavaco Silva foi Primeiro-Ministro, abriram-se muitos dos buracos que hoje assolam as contas públicas e a economia portuguesa. Esta foi a era das privatizações, criando o precedente para que empresas públicas lucrativas passassem para as mãos de privados a um preço desvantajoso para o Estado. Foi também a era da destruição da agricultura, pela via da seu sacrifício no altar do livre mercado.

Ricardo Sequeiros Coelho às 11:00 | link do post | comentar

Para quem ainda está indeciso

 

Retirado do "O blog ou a vida" e dedicado a quem não quer mais Cavaco em Belém mas também não quer votar em Alegre, esperando que vote em Alegre à segunda volta.

Ricardo Sequeiros Coelho às 10:50 | link do post | comentar
Sexta-feira, 14.01.11

Uma pergunta simples sem uma resposta simples

O Francisco Teixeira insiste que existe uma duplicidade de tratamento na forma como os apoiantes de Alegre tratam o caso "Aldeia BPN" e os casos "Freeport" e "Face Oculta". Desafiei-o a mostrar as suas fontes, não as mostrou. Insisti que a minha posição em relação a qualquer caso de alegada corrupção ou favorecimento é a mesma: deve-se investigar tudo até ao fim, doa a quem doer. Respondeu-me que "os mesmos que escrevem sobre a aldeia do BPN (dentro e fora da "Visão") foram os mesmo que assobiaram para o lado com o evoluir dos caso Face Oculta e Freeport".

Quando tudo o resto falha, foge-se às questões, ataca-se o adversário, lançam-se boatos. Voltemos então ao essencial.

Quem se tem esforçado tanto para defender Cavaco Silva no caso BPN, como alguns membros do Portugal Profundo, do 31 da Armada, do Blasfémias ou do Albergue Espanhol deveria ser capaz de responder a uma simples questão:

Sabemos que os homens fortes do BPN são ex-ministros e secretários de estado de Cavaco, que venderam acções a preço de favor, que fazem parte da sua comissão de honra, que contribuiram financeiramente para a sua campanha e que passam férias no mesmo aldeamento de luxo onde Cavaco comprou uma casa de férias com um salário de "mísero professor". Não são já coincidências a mais?

Ricardo Sequeiros Coelho às 17:45 | link do post | comentar

Afinal há boas razões para votar Cavaco

 

 

As generosas gentes do Porto dão uma ajuda à campanha de Cavaco Silva, depois de este desesperar com todas as notícias sobre as suas ligações com o BPN.

Ricardo Sequeiros Coelho às 09:28 | link do post | comentar
Quinta-feira, 13.01.11

A aldeia BPN

 

O modesto Cavaco Silva contenta-se com pouco. Uma casa com seis quartos, cinco dos quais duplos, seis casas de banho, piscina e 1600 m2 de área descoberta são suficientes para passar férias com a sua mulher. Nas imediações, pode sempre encontrar velhos amigos como Oliveira e Costa ou Fernando Fantasia, com quem pode trocar estórias sobre ganhos com acções do BPN.

O honesto Cavaco Silva não sabe quando e como comprou esta casa.

O digníssimo Cavaco Silva quer o nosso voto para continuar a governar o país, em conjunto com a pandilha que nos levou à ruína.

Ricardo Sequeiros Coelho às 18:39 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 12.01.11

Tivesse nascido mais cedo e a esta hora era director de campanha de Cavaco

A t-shirt do adolescente exprime perfeitamente o espírito da campanha de Cavaco Silva, sobretudo quando alguém resolve questionar o negócio de favor com o BPN.

Ricardo Sequeiros Coelho às 15:51 | link do post | comentar

Um candidato pela democracia

Duas declarações que mostram bem o comprometimento de Manuel Alegre com a democracia, mesmo quando os atropelos à liberdade vêm de elementos do seu partido.
Ricardo Sequeiros Coelho às 11:48 | link do post | comentar | ver comentários (1)
Terça-feira, 11.01.11

O candidato da crise permanente

Ao contrário do que diz Cavaco, Portugal tem sido um bom aluno. Condicionados por um pacto de estabilidade asfixiante e sem a rebeldia necessária para fazer frente aos mercados financeiros, parece que não nos resta outra coisa senão implementar as medidas de austeridade ditadas pela Comissão Europeia e pelo FMI, e esperar fazer boa figura perante os mercados financeiros.

Pois é, mas como lembra a Mariana Mortágua no Adeus Lenine, esta receita só trouxe a desgraça a quem a seguiu. A máxima de Cavaco é, portanto, a de João Pinto, ex-jogador do FCP: quando à beira do precipício, há que dar um passo em frente.

Ricardo Sequeiros Coelho às 20:09 | link do post | comentar

Vende-se: Portugal

 

 

Ricardo Sequeiros Coelho às 14:36 | link do post | comentar

Um mísero professor

 

tags:
Ricardo Sequeiros Coelho às 09:48 | link do post | comentar | ver comentários (2)
Sábado, 08.01.11

Campanhas sujas ou negócios sujos?

Marques Mendes, ex-ministro de Cavaco, apareceu na televisão a garantir que não havia qualquer favor na compra e venda de acções da SLN, sociedade detentora do BPN, por Cavaco. Explicou o porquê: Cavaco vendeu as acções a 2,4€, quando valeriam 2,61€ nessa altura. Caso encerrado. José Manuel Fernandes, no Público (link só para assinantes), defende o seu candidato, dizendo que já teria dado todas as informações necessárias sobre o negócio. O Sol, jornal de Joaquim Coimbra, membro da Comissão de Honra de Cavaco Silva e um dos accionistas do BPN e da SLN, insiste que Cavaco, coitado, até perdeu dinheiro.

Afinal, o economista não é grande especialista em compra e venda de acções. Nada de estranho, note-se: eu também sou economista e tenho a certeza que perderia todo o meu dinheiro em um mês se me pusesse a especular na bolsa. Ficamo-nos então por aqui? Nem por isso.

O favor que Cavaco teve de Oliveira e Costa não consistiu no preço de venda mas antes no preço de compra. Vamos então por passos.

Meses antes da compra das acções, o BPN tinha realizado um aumento de capital. Como reporta o Público, a "24 de Novembro de 2000, o valor dos títulos foi fixado em três categorias: a 1,8 euros para venda aos accionistas, a 2,2 euros a outros investidores e a um euro para um lote de acções que Oliveira Costa reservou para si e para algumas sociedades do grupo, entre as quais a SLN Valor." Ou seja, uma pessoa que tivesse comprado as acções ao seu preço normal e vendido quando Cavaco as vendeu e ao preço a que ele vendeu teria realizado um lucro de 9.09% a 33,33%. Cavaco teve um lucro de 140%.

Para ser ainda mais claro: Cavaco comprou as acções a Oliveira e Costa, a um preço de favor. Vendeu-as mais tarde, por intermédio de Oliveira e Costa, tendo um lucro muito superior ao oferecido a outros accionistas.

Não comprou umas acções quaisquer disponíveis ao balcão do BPN, porque se tratavam de acções não cotadas em bolsa.

Não comprou sequer umas acções do lote colocado para venda a accionistas e investidores, porque se tratavam de acções reservadas a Oliveira e Costa.

Comprou acções especiais, a um preço especial. Como? Não sabemos, Cavaco não explica. Quando inquirido pela RTP, apenas respondeu que "não alimenta campanhas sujas, desonestas". Isto vindo de quem alimenta a ideia de que Alegre é um corrupto porque talvez não tenha devolvido um cheque por uma campanha publicitária, depois de ter solicitado a suspensão da campanha e contactado o BPP para devolver o dinheiro.

Publicado também no Mãos Visíveis.

tags:
Ricardo Sequeiros Coelho às 17:38 | link do post | comentar
Sexta-feira, 07.01.11

Diz-me com quem andas...

Abdool Vakil, ex-presidente do Efisa, banco de investimento do Banco Português de Negócios (BPN), e membro da comissão de honra de Cavaco Silva, está a ser investigado pelo Ministério Público, pelo Banco de Portugal e pela CMVM. Alegadamente, Vakil terá comprado participações em empresas a preços inflacionados. O homem que sucedeu a Oliveira e Costa na administração do grupo SLN também se deu ao luxo de aumentar o seu próprio salário, assim como os salários de outros ex-administradores, numa operação que causou um prejuízo de 483 mil euros.

Da comissão de honra de Cavaco fazem ainda parte Alberto Figueiredo, presidente da SLN, Joaquim Coimbra, um dos maiores accionistas da SLN e Fernando Fantasia, co-proprietário dos terrenos da SLN no campo de tiro de Alcochete, comprados apenas duas semanas antes de o governo ter anunciado a nova localização do aeroporto de Lisboa. Tudo gente de bem, certamente.

tags:
Ricardo Sequeiros Coelho às 19:40 | link do post | comentar | ver comentários (2)

eMail

pesquisar

 

autores

posts recentes

últ. comentários

  • Genial ... anedota nacional. Fica a ideia da const...
  • Ou seja, Cavaco, nos seus 10 anos, reduziu o défic...
  • Obrigado Rodrigo.Este Blog estará disponível enqua...
  • Caros AmigosO trabalho que fizeram e apesar de os ...
  • Há gente que nunca conseguirá ver mais do que a po...
  • Palavras para quê?"Alegre confrontado com insinuaç...
  • Obrigado JPN.Já está resolvido.
  • Obrigado, AnabelaFoi um prazer acompanhar Manuel A...
  • Tens toda a razão, Paulo.Esta treta de gente do me...
  • Acho que não deve conseguir ler os gráficos muito ...

mais comentados

arquivos

2011

tags

links

subscrever feeds

networkedblogs - facebook

NetworkedBlogs
Google Groups
blogs SAPO

Logo

Alegre - Alegro Pianissimo
Imagem: Rui Perdigão